Institucional • 01.09.2022
Parque Vida Cerrado se despede de sua grande protagonista, a lobo-guará Mel.

Emblemática para o Parque Vida Cerrado e bioma no qual faz parte, a lobo-guará Mel morreu nesta quarta-feira (30), por complicações de saúde em decorrência da sua idade. Presente no criadouro há 14 anos, a grande estrela do local cresceu, viveu e criou filhotes, exercendo um papel relevante para a reprodução desta espécie tão importante para a fauna brasileira.

Mel chegou ao Parque em 2008, com apenas um ano de idade. Resgatada em 2007 ainda filhote, foi entregue ao criadouro científico da FMVZ – UNESP- Botucatu, onde recebeu cuidados intensos para garantir a sobrevivência. Os resultados dos cuidados dedicados a ela foram comprovados pelo fato da Mel ter sido um dos lobos-guará em recinto com mais idade no Brasil.

Apesar de ser um animal silvestre, a Mel tinha uma característica peculiar: era receptiva ao carinho dos seres humanos, solicitando, por muitas vezes, a interação e o contato físico. Graças ao seu jeito carinhoso e acessível, a mãe de Atlas (2017), Melinda (2018) e Lobato (2019) recepcionou e comoveu mais de 30 mil pessoas, que com a sua simpatia aprenderam sobre os impactos positivos gerados pelo Parque Vida Cerrado, organização que atua diretamente na convivência sustentável da sociedade com a natureza, por meio da conservação da biodiversidade, a realização de pesquisas, da promoção do conhecimento técnico-científico e educação socioambiental.

O Parque Vida Cerrado se desenvolveu em torno do Criadouro Científico para fins de conservação, e mantém aproximadamente 30 espécimes de oito espécies animais. Cinco estão classificadas em alguma das categorias de ameaça de extinção da União Internacional para a Conservação da Natureza ou do Ministério do Meio Ambiente. Mel esteve inserida nesse ambiente de cuidado e promoção da vida, criando muitas histórias nas memórias dos visitantes e colaboradores do local.

“A Mel deixa um legado importante, que é muito mais do que a conservação do lobo-guará, enquanto indivíduo reprodutor. Ela teve uma atribuiçãoessencial na sensibilização das pessoas que não têm acesso à natureza, que não têm uma fazenda e nunca viram um animal desse. Então, a Mel cumpriu seu papel de todas as maneiras e a nossa responsabilidade,, enquanto instituição, foi dar a melhor qualidade de vida e dignidade para ela”, afirma Gabrielle Bes da Rosa, coordenadora do Parque Vida Cerrado.

A lobo-guará também contribuiu para o desenvolvimento científico focado na conservação dos indivíduos da sua espécie, ao fazer parte do protocolo inédito para soltura e reintrodução de lobos-guará em áreas agrícolas, em parceria com o ICMBio. Os primeiros resultados puderam ser vistos neste ano, com a soltura dos lobos Baru e Caliandra, ambos resgatados e tratados pelo Parque.

O Parque Vida Cerrado lamenta profundamente o falecimento da loba e presta homenagem à Mel que, ao longo de tantos anos, foi símbolo da preservação da espécie no Cerrado.

Acompanhe as redes sociais do Parque Vida Cerrado e deixe a sua homenagem à Mel:
https://www.instagram.com/parquevidacerrado/
https://www.linkedin.com/company/parque-vida-cerrado/

Sobre o Parque Vida Cerrado

Primeiro e único centro de educação socioambiental do Oeste baiano, que abriga um criadouro conservacionista e um centro de excelência em restauração do bioma Cerrado, localizado entre os municípios de Luís Eduardo Magalhães e Barreiras. Criado há 16 anos, o parque é idealizado e patrocinado pela Galvani. Dispõe de mais de 30 espécies nativas em seu viveiro, desenvolvidas com apoio da Rede de Coletores de sementes dos assentamentos rurais.

Nenhum post disponível!
Agendamento de visitas
77 9.9971-3190
Comercial
77 9.99713190 / gabrielle@vidacerrado.org.br
Fundadora e Patrocinadora
Patrocinadores
Parceiros
Parque Vida Cerrado 2019 - Desenvolvido por
Negra Comunicação